Cansaço extremo e falta de ar estão entre os sintomas da bradicardia sinusal

Na medicina o termo Bradicardia é utilizado para designar uma redução na frequência cardíaca.



Uma frequência cardíaca entre 60 e 100 batimentos por minuto é considerada normal em seres humanos, porém quando a frequência cai, atingindo valores abaixo de 60 batimentos por minutos, constitui a bradicardia.

A bradicardia pode ocorrer de 2 formas:


A Bradicardia fisiológica ocorre quando há uma variação anormal no funcionamento do organismo ou a Bradicardia patológica, causada por alguma doença.

Entre as possíveis causas deste tipo de arritmia, estão a idade, doenças de chagas, fibrilação atrial, uso de medicações, doenças das artérias coronárias, desnutrição, cardiopatias congênitas e outros.

Veja também:

6 sinais que podem indicar arritmia cardíaca

Bradicardia sinusal

A forma mais comum de Bradicardia é a sinusal.

Ela ocorre quando há uma diminuição dos batimentos cardíacos, provocada pela falha na operação normal do nó sinusal, sendo este o nosso marcapasso natural.

Uma vez que o nó sinusal opera de forma irregular, a frequência cardíaca pode diminui fazendo com que a pressão diminua, provocando uma redução no esforço do músculo cardíaco.

Danos ao organismo poderão ser causados devido a redução da circulação do sangue, levando menos oxigênio até as células.

Bradicardia - sintomas

Quando ocorre uma diminuição da frequência dos batimentos cardíacos, a fraqueza, cansaço, falta de ar, perda de memória, perda de vontade, tonturas e mal estar estão entre os sintomas mais comuns.


 
Sintomas como o cansaço, principalmente em pessoas com idade avançada, muitas vezes são confundidos com preguiça ou algo natural da idade, o que poderá ser um erro grave, daí a necessidade de exames periódicos com a finalidade de investigar se há tais alterações.

Ao consultar o seu médico cardiologista, ele poderá dizer que você tem bradicardia e o grau que o problema progrediu.

Faça exames periódicos para excluir ou confirmar o diagnóstico de bradicardia.

Veja também:

Reduza o risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Conheça as dicas de prevenção

Bradicardia e os exames

Existem vários tipos de exames, um ou vários destes exames poderão ser solicitados pelo seu médico, dependendo do problema do ritmo cardíaco a ser investigado:
Eletrocardiograma (ECG)
ECG em exercício ou teste de estresse
Teste de inclinação ortostática
Estudo de Eletrofisiologia (EP)
Monitor Holter (ECG de 24 a 72 horas)



Além destes exames, o seu médico também poderá solicitar o uso de dispositivos de monitoramento para melhor investigar a causa de episódios de desmaios inexplicáveis por exemplo.

Entre estes dispositivos de monitoramento temos:
Registrador de eventos implantável
Registrador de eventos externo (External look recorder)

Valorize sua saúde. Monitore. Um atitude simples que poderá evitar graves transtornos. Marque uma consulta com o seu cardiologista. 


Veja também:

Dicas para evitar as doenças cardiovasculares

Facilitando o seu acesso as consultas.

Na policlínica Neurocor  você poderá agendar sua consulta via whatsapp


Caso esteja lendo esta matéria fora de horário comercial, basta deixar seu recado.
Nossos atendentes entrarão em contato assim que for possível. Em horário comercial.

Portanto, marque agora o sua consulta e verifique como está a saúde do seu coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Infecção Vaginal por fungos: O que toda mulher deveria saber.

8 grupos de risco para o Hipotireoidismo. O hipotireoidismo pode matar.

Entenda o que é a Cardiomegalia (Coração Grande), as causas, sintomas e os tratamentos.

Como reverter a perda muscular na velhice.

Conselho Regional de Medicina: Como consultar o CRM do médico.