Bactéria relacionada a gengivite sugere novo tratamento para Alzheimer

 Alzheimer: estudos indicam bactéria como uma das causas

Uma bactéria que causa a Gengivite pode ser uma das causas da doença de Alzheimer. 

O estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Bergen, na Noruega, descobriu a presença do patógeno periodontal P. gingivalis em cérebros com Alzheimer.

A bactéria Porphyromonas gingivalis, causadora da periodontite crônica, provoca uma infecção gengival grave que danifica as gengivas, podendo inclusive destruir o osso maxilar.

Doenças periodontais afetam cerca de um terço da população mundial.

Estudos realizados indicaram a presença desta bactéria também no cérebro.

Veja também: 8 sintomas que podem indicar sinais de demência

Alzheimer e os sintomas observados

Diversas equipes de pesquisa científica têm investigado a bactéria Porphyromonas gingivalis.

Cientistas descobriram que esta bactéria invade e inflama as regiões do cérebro afetadas pela doença de Alzheimer e desta forma contribui para o desenvolvimento da doença ou agravamento do quadro.

As amostras observadas detectaram a presença de enzimas tóxicas, chamadas de gingipains, que a bactéria Porphyromonas gingivalis usa para se alimentar de tecido humano. 

A presença desta toxina foi observada em 96% das 54 amostras observadas, encontrando a própria bactéria em 3 cérebros com Alzheimer.

Foram também comparadas amostras de cérebros de pessoas mortas com e sem a doença de Alzheimer, que eram aproximadamente da mesma idade quando faleceram.

Nas amostras das pessoas com a doença de Alzheimer foi descoberto que a presença da bactéria era mais comum. 

Estudos realizados com ratos, demonstraram que a bactéria Porphyromonas gingivalis, pode deslocar da boca para o cérebro e que essa migração pode ser bloqueada por substâncias químicas que interagem com as gengivas.

Veja também: Dicas de nutrição adequada para o cérebro

Alzheimer e o tratamento em andamento

Uma droga conhecida como COR388, está atualmente em fase 1 de ensaios clínicos para a doença de Alzheimer. Esta droga visa bloquear a bactéria para que esta não migre para o cérebro.

Alzheimer como prevenir neste caso

Embora a periodontite seja comum, ela é bastante evitável, sendo que geralmente é causada por má higiene oral.

Se não for devidamente tratada ela pode levar a perda dos dentes. 

Seus sintomas incluem gengivas inchadas, avermelhadas e sensíveis. 

É extremamente recomendado a prevenção da doença gengival, principalmente por aquelas pessoas que já possuem fatores de risco genéticos que as tornam mais propensas a adquirir a doença de Alzheimer e artrite reumatoide. 

Estudos avançam procurando trazer mais evidências a respeito da bactéria Porphyromonas gingivalis e sua relação com a doença de Alzheimer.

Enquanto isso, evite a periodontite, além de trazer benefícios comprovados para a sua saúde, este estudo é mais um dos motivos para que você não deixe de cuidar da sua saúde bucal.

Veja também: Quando eu devo procurar um neurologista?





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Infecção Vaginal por fungos: O que toda mulher deveria saber.

8 grupos de risco para o Hipotireoidismo. O hipotireoidismo pode matar.

Entenda o que é a Cardiomegalia (Coração Grande), as causas, sintomas e os tratamentos.

Como reverter a perda muscular na velhice.

Conselho Regional de Medicina: Como consultar o CRM do médico.