Quem dorme mal envelhece mais cedo e adoece mais

 Dormir bem não previne o envelhecimento, porém ter qualidade de sono significa que você vai continuar envelhecendo normalmente. 


O problema é quando você dorme mal. 

Neste caso os sinais de envelhecimento vão aparecer mais cedo, além de vários problemas relacionados à qualidade do sono.

Quando é mencionado qualidade do sono, não significa dormir demais, aliás dormir muito também pode trazer problemas para a saúde a longo prazo e por outro lado, dormir menos que o necessário também pode trazer graves problemas.

O ideal é dormir o necessário. Ter uma boa noite de sono, significa permitir ao organismo realizar a manutenção da nossa saúde física e mental.

A qualidade do sono faz parte dos pilares de uma vida saudável.

Qual é a quantidade de sono ideal?

A quantidade de sono varia com a idade.

  • Crianças até 2 anos de idade, necessitam dormir cerca de 12-14 horas ao dia, incluindo as sonecas.
  • Os adolescentes necessitam cerca de 10 horas em média.
  • Adultos de 7 a 9 horas;
  • Idosos entre 7 e 8 horas.

Existem também variações individuais, sendo que as quantidades citadas são apenas uma média estabelecida. Logo cada indivíduo responde de forma diferente. 

Para uma avaliação precisa do indivíduo, a polissonografia é o exame indicado.

Veja também: Alterações do sono e excesso de ronco são sinais de alerta.

Quais as causas de insônia no idoso?

Estudos recentes apontam que cerca de 20 a 40% da população idosa possui insônia. 

Vários fatores que aparecem com maior frequência com o avanço da idade contribuem para esta estatística entre eles:

  • A insônia é a causa secundária ocasionada por doenças neurológicas como Parkinson, Alzheimer e a síndrome das pernas inquietas.
  • Doenças cardiorrespiratórias contribuem para o aumento de casos de insônia.
  • A menopausa e a noctúria (acordar à noite para urinar) são exemplos de outros distúrbios relacionados ao avanço da idade que contribuem para casos de insônia.
  • Casos de insônia psicofisiológica são mais frequentes entre a população de idosos devido a diversos fatores psicológicos, como isolamento social, ansiedade decorrente do medo de outras doenças, da morte e outros. A ansiedade pode causar insônia.
  • Ronco e apneia do sono também são mais frequentes na população idosa e podem afetar a qualidade do sono.

O Idoso com insônia.

A medicina do sono é um dos campos mais promissores atualmente devido ao envelhecimento da população e a maior ocorrência de distúrbios ocasionados pelo avanço da idade.

A polissonografia é a melhor forma de avaliar a questão da qualidade do sono em idosos, uma vez que muitas queixas nesta idade são tidas como normais devido ao avanço da idade. 

Das alterações muitas vezes observada pelo idoso e que ainda são tidas como normais e pertinentes ao avanço da idade temos:

  • Redução do sono profundo
  • Maior movimentação das pernas enquanto está dormindo
  • Facilidade em despertar devido ao aumento do estágio superficial do sono
  • Insônia na madrugada com maior incidência de episódios de despertar durante o sono noturno, permanecendo algum tempo acordado na cama.
  • Ocorrência da redistribuição do sono, observando maior incidência de sonecas e cochilos diurnos e diminuição do sono noturno.
  • Aumento no tempo para pegar no sono.

Estou com insônia. Quais fatores melhoram a qualidade do sono?

A tendência natural após os 50 anos é que a pessoa durma em média 30 minutos a menos por dia a cada década, fazendo com que o sono seja cada vez mais irregular com o passar dos anos.

A fase de sono mais profundo (fase REM) diminui cerca de 50% após os 50 anos, fazendo com que o mecanismo responsável pela revitalização do corpo fique cada vez mais superficial e fragmentada.

Dormir mal, faz com que o organismo passe a  oferecer mais dificuldade para pegar no sono, desta forma entrando num ciclo vicioso.

Para evitar esse ciclo algumas recomendações são necessárias:

  • Não faça refeições perto da hora de dormir.
  • Invista em um ambiente confortável para dormir, bem escuro e silencioso.
  • Se programe para dormir a quantidade necessária.
  • Evite o contato com dispositivos eletrônicos (internet e tv) próximo ao horário de dormir.
  • Tenha uma alimentação mais saudável

Uma consulta médica é recomendada em qualquer caso onde exista dificuldade para dormir ou caso você sinta que a qualidade do sono está comprometida.

A automedicação no tratamento da insônia é perigosa, portanto não recomendada,  agravando ainda mais se for no caso de idoso.

Para complemento desta publicação veja também: 

Por que dormir bem melhora o desempenho do cérebro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Infecção Vaginal por fungos: O que toda mulher deveria saber.

8 grupos de risco para o Hipotireoidismo. O hipotireoidismo pode matar.

Entenda o que é a Cardiomegalia (Coração Grande), as causas, sintomas e os tratamentos.

Como reverter a perda muscular na velhice.

Conselho Regional de Medicina: Como consultar o CRM do médico.