8 grupos de risco para o Hipotireoidismo. O hipotireoidismo pode matar.

Condição que pode afetar a todos, porém sendo predominante em mulheres idosas, o hipotireoidismo é uma deficiência onde a glândula da tireoide não produz quantidade suficiente de hormônio  (triiodotironina (T3) e a tiroxina (T4)) podendo afetar por exemplo a temperatura corporal e vários aspectos do metabolismo.

São mais de 2 milhões de casos por ano, somente no Brasil.

O diagnóstico realizado pelo médico sempre requer exames laboratoriais ou de imagem. 

O tratamento é realizado sempre com acompanhamento médico pode durar anos ou a vida inteira.

Hipotireoidismo mata. Conheça as causas.

A doença pode ter várias causas, sendo a mais comum decorrente da doença de Hashimoto, uma doença auto imune onde o próprio sistema imunológico do paciente não reconhece a glândula tireoide como sendo parte do organismo atacando a mesma.

O hipotireoidismo poderá surgir em pacientes que estavam se tratando do hipertireoidismo, também poderá ocorrer em consequência de tratamentos com iodo radioativo, radioterapias e infecções da tireoide ocasionadas por vírus e bactérias.

Algumas crianças também já nascem com hipotireoidismo ocasionados por problemas congênitos (hipotireoidismo congênito).

Hipotireoidismo sintomas

Entre os principais sintomas temos:

  • Pele ressecada
  • Fadiga
  • Constipação
  • Sensibilidade ao frio
  • Ganho inexplicável de peso

Além disso, os pacientes também poderão apresentar:

  • Cólicas 
  • Fraqueza muscular
  • Perda de memória
  • Atraso da puberdade
  • Queda ou ressecamento capilar
  • Ronco e sonolência
  • Rigidez nas articulações
  • Disfunção sexual
  • Olhos inchados
  • Palidez
  • Afinamento das sobrancelhas externas
  • Colesterol alto
  • Unhas quebradiças

Fatores (grupo de risco) para o Hipotireoidismo (hipotireoide)

Alguns fatores colaboram e aumentam as chances de um diagnóstico ser positivo para o hipotireoidismo, entre eles:

  • Pessoas do sexo feminino e com idade superior a 30 anos
  • Pessoas com idade superior aos 60 anos
  • Menopausa
  • Gravidez
  • Período pós parto
  • Diabetes
  • Predisposição genética
  • Excesso de iodo na alimentação

Hipotireoidismo mata, saiba como prevenir.

Infelizmente, não há uma prevenção primária específica, porém algumas precauções poderão ser adotadas para evitar a doença.

A ingestão adequada de iodo é importante para a formação de 2 hormônios: T3 e T4.

Entre os alimentos que possuem iodo temos alguns peixes como bacalhau, salmão, pescada, cavala e também no sal de cozinha.

Atenção. O consumo exagerado de iodo, por outro lado, também poderá ocasionar o surgimento do hipotireoidismo.

Incorpore na sua rotina a prática de exercícios físicos.

Realize exames de rotina com exames de sangue T3, T4 e TSH. (marque aqui sua consulta).

Adote uma alimentação saudável e equilibrada.

Evite o cigarro. (veja também: O tabagismo, seus efeitos nocivos e as doenças)



Hipotireoidismo pode matar,  portanto conheça os tratamentos

O tratamento mais comum consiste na reposição hormonal.

Esta reposição é realizada com uma versão sintética do hormônio T4, no organismo, este hormônio é convertido em hormônio T3, agindo nas células.

Para a manutenção do funcionamento da tireoide, será necessária a ingestão diária da medicação, sendo que a dosagem será proporcional ao grau de desequilíbrio da glândula.

A automedicação não é recomendada sob pena de agravar ainda mais o quadro. (Hipotireoidismo pode matar)

Quem é o médico de tireoide?

A determinação da dosagem adequada somente o médico endocrinologista poderá determinar, através de exames clínicos e laboratoriais periódicos para manter a dosagem bem ajustada. 

Saiba mais sobre a tireoide acessando nossa publicação: 10 perguntas mais frequentes sobre a Tireoide.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Infecção Vaginal por fungos: O que toda mulher deveria saber.

Entenda o que é a Cardiomegalia (Coração Grande), as causas, sintomas e os tratamentos.

Como reverter a perda muscular na velhice.

Conselho Regional de Medicina: Como consultar o CRM do médico.