Os efeitos da Encefalopatia Traumática Crônica (ETC) no cérebro.

Sintomas neurológicos geralmente relacionados à prática esportiva que resultam em pancadas na cabeça despertam grande curiosidade e interesse de estudos.

Identificada na segunda década do século passado, a demência pugilística e a encefalopatia traumática crônica, este um termo mais recente, são considerados a mesma doença.

Veja também:

Estudos apontam uma proteína como causa para a doença de Alzheimer.

Esta doença é amplamente estudada e ocorre geralmente em alguns atletas que tiveram traumatismo craniano repetitivo ao longo de suas carreiras.

Jogadores de futebol americano aposentados e atletas de outras modalidades esportivas que tiveram traumatismos repetitivos na cabeça fazem parte das estatísticas de pacientes que desenvolveram esta doença.

Os riscos de desenvolver esta doença após repetitivos traumas cranianos (por exemplo: quantidade e intensidade das lesões)  e a razão pela qual somente certas pessoas desenvolvem esta doença em decorrência do histórico de traumas ainda são desconhecidos.

Estudos identificam que cerca de 3% dos atletas com histórico de traumas, mesmo aqueles com traumas aparentemente menores, desenvolveram a encefalopatia traumática crônica.

Sintomas da Encefalopatia Traumática Crônica (ETC)

Os sintomas iniciais podem ser caracterizados por mais de um dos seguintes sinais relacionados:

1 - Anomalias comportamentais:

  • Impulsividade
  • Explosividade
  • Agressões

2 - Perturbação do humor:

  • Desesperança
  • Depressão
  • Irritabilidade

3- Comprometimento cognitivo:

  • Demência
  • Disfunção executiva
  • Perda de memória

4 - Anomalias motoras:

  • Disartria
  • Ataxia
  • Parkinsoniano

Existem 2 cursos clínicos distintos em relação ao surgimento dos sintomas:

1- O comprometimento cognitivo ocorre em idade mais avançada, por exemplo após os 60 anos. Após o surgimento do comprometimento cognitivo, os distúrbios do humor e as anormalidades comportamentais aparecem.

2- Primeiro surgem os distúrbios do humor e as anormalidades comportamentais, se desenvolvendo durante a idade adulta jovem, lá pelos 30 anos de idade, e a disfunção cognitiva se desenvolve mais tarde.


Diagnóstico da Encefalopatia Traumática Crônica (ETC)

O diagnóstico segue critérios clínicos que incluem:

  • Ausência de uma explicação mais provável dos resultados clínicos
  • Histórico de traumatismo craniano
  • Sinais e sintomas consistentes com encefalopatia traumática crônica.
Nota: Tais critérios também são utilizados em pesquisas.

Além dos critérios clínicos, resultados obtidos através neuroimagem de rotina como a ressonância eletromagnética e a tomografia computadorizada, geralmente são comuns.

O exame neuropatológico obtido durante a autópsia traz um diagnóstico definitivo da encefalopatia traumática crônica.

Tratamento para a Encefalopatia Traumática Crônica (ETC)

Infelizmente não existe tratamento específico. Caso ocorra o surgimento da demência, medidas de suporte, como as adotadas em tratamentos de outras demências poderão ajudar.

Veja também:

8 sintomas que podem indicar sinais de demência

Geralmente o tratamento é realizado com os mesmos medicamentos que são utilizados contra o Alzheimer e Parkinson.

Um atendimento multidisciplinar, envolvendo outras áreas como a fonoaudiologia e a fisioterapia, serão necessárias, em decorrência dos problemas motores.

Prevenção para a Encefalopatia Traumática Crônica (ETC)

A melhor forma de prevenção consiste em evitar impactos na cabeça.

Pessoas com histórico de várias lesões devem ser aconselhadas sobre os riscos que implicam na continuidade da prática do esporte.

Caso você tenha um histórico de exposição a traumas cranianos, seja devido a prática esportiva ou não e sente dificuldade de memória, procure ajuda médica.

Você sabia que na policlínica Neurocor você dispõe de diversos canais de atendimento, entre eles o nosso serviço de agendamento de consulta via whatsapp.

Acesse nossos contatos clicando aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Infecção Vaginal por fungos: O que toda mulher deveria saber.

8 grupos de risco para o Hipotireoidismo. O hipotireoidismo pode matar.

Entenda o que é a Cardiomegalia (Coração Grande), as causas, sintomas e os tratamentos.

Como reverter a perda muscular na velhice.

Conselho Regional de Medicina: Como consultar o CRM do médico.