Nunca foi tão urgente como agora. Saiba sobre Embolia ou Trombose Pulmonar.

Embolia Pulmonar: O que é?

Condição grave também conhecida como trombose pulmonar ou ainda tromboembolismo pulmonar (TEP), a embolia pulmonar surge quando um coágulo provoca a obstrução da artéria pulmonar ou de um de seus ramos que transportam sangue para o pulmão, desta forma impedindo que o oxigênio atinja os tecidos afetados.

Embolia Pulmonar: Dados Estatísticos.

Estimativas apontam que cerca de 430.000 pessoas na Europa e entre 300.000 a 600.000 pessoas nos Estados Unidos sejam afetadas pela doença anualmente. 

No Brasil, antes da pandemia da COVID-19, a doença já atingia entre 3,9% a 16,6% da população. 

Embolia Pulmonar: Causas.

Um coágulo de sangue ou trombo geralmente é o causador da embolia pulmonar.

Este coágulo geralmente se desloca de outra parte do corpo até o pulmão.

No pulmão, o coágulo fica preso, obstruindo a passagem do sangue.

Esta obstrução compromete parte do pulmão.

A falta de oxigenação nestas regiões provoca a morte progressiva dos tecidos envolvidos na parte afetada.

O resultado é uma falta de ar repentina, tosse intensa e dor no peito, ocorrendo principalmente no ato de respirar.

Qualquer pessoa pode desenvolver uma embolia pulmonar, porém há fatores que podem contribuir para aumentar os riscos da aparição de um coágulo entre eles:

  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo;
  • Ter idade superior a 60 anos;
  • Utilizar pílula ou fazer tratamentos de reposição hormonal.
  • Histórico de trombose venosa profunda;
  • Fraturas no quadril e nas pernas;
  • Histórico familiar de trombose pulmonar;
  • Problemas de coagulação;
  • Histórico de AVC ou infarto;

Veja também:

4 dicas que você precisa saber para evitar a obesidade grau 1

Reduza o risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Conheça as dicas de prevenção

Os tipos de obesidade conforme os acúmulos de gorduras.

O tabagismo, seus efeitos nocivos e as doenças

Embolia Pulmonar: Sintomas.

A intensa falta de ar que surge de forma repentina é o sintoma mais comum. 

O quadro pode ir se agravando ao longo do tempo, à medida que aumenta o tamanho da área afetada do pulmão, levando ao aparecimento de outros sinais e sintomas, sendo os principais:

  • Sensação de falta de ar repentina;
  • Respiração rápida;
  • Dor ao movimentar as pernas ou inchaço das pernas;
  • Tosse constante e que pode conter sangue;
  • Dor no peito que piora ao respirar fundo, tossir ou comer;
  • Confusão mental, principalmente em idosos;
  • Pele pálida, fria e azulada, especialmente nos dedos e lábios;
  • Batimentos cardíacos rápidos e/ou irregulares;
  • Sensação de desmaio.
  • Tonturas que não melhoram.

Os sintomas também podem variar de intensidade conforme a duração da trombose e o tamanho do coágulo.

Ao notar a presença de um ou mais sintomas, procure imediatamente por ajuda médica para confirmar o diagnóstico e receber tratamento adequado, desta forma prevenindo complicações de saúde.

Embolia Pulmonar: Diagnósticos.

O médico geralmente recorre a exames de diagnóstico como:

  • Eletrocardiograma (ECG); 
  • Raio X do tórax;
  • Tomografia computadorizada;
  • Exame de sangue;
  • Angiografia pulmonar;

Uma vez que os sintomas da embolia pulmonar podem ser confundidos com um problema cardíaco. Na confirmação da suspeita o tratamento é iniciado imediatamente. 

Embolia Pulmonar: Tratamentos.

O tratamento para embolia pulmonar geralmente requer internamento, que pode durar algumas semanas ou meses.

Este tratamento poderá incluir a realização de oxigenoterapia, onde será fornecido oxigênio para o paciente através de uma máscara.

Medicamentos poderão ser introduzidos diretamente na veia visando dissolver o coágulo que está obstruindo a passagem do sangue, além de analgésicos para alívio das dores.

Em casos mais graves a cirurgia para retirada do trombo poderá ser necessária. 

Às cirurgias geralmente ocorrem em casos onde a obstrução é provocada por algum objeto estranho como por exemplo um pedaço de osso.

A relação da Embolia Pulmonar com a COVID-19

A Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia aconselha a realização periódica de exames para pacientes internados com COVID-19, uma vez que os riscos de formação de coágulos aumentam nestes pacientes, principalmente naqueles mais graves, com intensa inflamação provocada pelo vírus no corpo.

Se você já teve COVID-19 uma avaliação médica a respeito do estado dos seus pulmões poderá ser realizada, através de um médico pneumologista.

A Dra. Larissa Marion Grande Cavalhero é a médica pneumologista que faz parte do quadro de médicos da Policlínica Neurocor.

Obs: A policlínica Neurocor não atende pacientes internados ou em vigência de infecção por CODIV-19

Entre em contato conosco através dos nossos canais de atendimento e agende sua consulta.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Infecção Vaginal por fungos: O que toda mulher deveria saber.

8 grupos de risco para o Hipotireoidismo. O hipotireoidismo pode matar.

Entenda o que é a Cardiomegalia (Coração Grande), as causas, sintomas e os tratamentos.

Como reverter a perda muscular na velhice.

Conselho Regional de Medicina: Como consultar o CRM do médico.